fbpx

Blog Nutrição e Saúde

    Sem categoria

GANEPÃO 2023

A Prodiet esteve presente no congresso GANEPÃO 2023, um dos maiores congressos de nutrição da América Latina, que teve como tema Multiverso da Nutrição. O congresso aconteceu entre os dias 14 e 16 de junho de forma híbrida e contou com a presença de palestrantes nacionais e internacionais.

O evento contou com temas diversos, incluindo nutrição clínica, oncologia, paciente crítico, microbiota intestinal, atendimento do paciente no consultório, programação exclusiva para médicos, entre outros temas.

A Prodiet contou com dois workshops. O primeiro foi sobre envelhecimento saudável com o Dr Marcelo Valente, que tratou da importância da reserva muscular, sendo que essa reserva começa na infância, atingimos o pico dos 25 aos 30 anos e é necessário minimizar as perdas conforme envelhecemos. Falou de estratégias que podem ser adotadas para preservar a massa muscular, como exercícios resistidos, nutrição adequada com foco em energia e proteínas, suplementação e controle de doenças. O segundo, com Maria Fernanda Elias, Líder científica de sustentabilidade na DSM, que abordou um tema inovador: nutrição e sustentabilidade, tratando das mudanças climáticas e o impacto nutricional como a alteração na produção de alimentos, com baixa qualidade nutricional e insegurança alimentar e associando às doenças relacionadas à nutrição como obesidade, desnutrição e doenças crônicas não transmissíveis, além de dicas de um futuro sustentável.

A Sociedade Brasileira de Nutrição Enteral e Parenteral (BRASPEN) lançou um novo posicionamento sobre Dieta Oral no Ambiente Hospitalar, com foco na sua importância, padronização, como realizar a implementação por meio da gastronomia hospitalar e como avaliar a aceitação. O documento completo pode ser acessado no link Posicionamento BRASPEN.

No tópico oncologia, foi discutido os efeitos do câncer sobre a composição corporal. É essencial identificar os pacientes antes do desenvolvimento da caquexia, para que se possa intervir. A estratégia nutricional ideal é adequar as necessidades calóricas e proteicas, ajustar a prescrição conforme os efeitos colaterais do tratamento e aceitação do paciente e incluir suplementos alimentares para atingir as necessidades. Além disso, foi discutida a importância do exercício físico e da reabilitação pré e pós internação para os pacientes com câncer, além dos aspectos nutricionais nesta fase, semelhantes às citadas anteriormente.

Quanto ao paciente crítico, foram discutidos os resultados do EFFORT Trial no quesito prescrição proteica. É importante entender que o fato de não terem encontrado diferença entre os grupos que receberam 1,6g/ kg vs 0,9g/kg, não quer dizer que a proteína não faz diferença, uma vez que o estudo avaliou apenas a mortalidade e não desfechos funcionais. Os desfechos funcionais são importantes, pois o que acontece com o paciente durante o tempo que ele permanece na UTI desencadeia uma série de eventos no após (readaptação, reabilitação e lesão muscular – que pode demorar 6 meses até 5 anos para recuperar). Deixar de ofertar proteína não resolverá o problema! Ficou evidente que é necessário aumentar progressivamente a proteína ofertada, sempre avaliando a evolução do paciente, ou seja, individualizando a prescrição. Além disso, foi falado sobre a importância da L-leucina como um aminoácido fundamental para a recuperação da musculatura.

A Prodiet esteve presente no congresso também com a apresentação de dois resumos. O primeiro foi um relato de caso, realizado pela nutricionista Patricia de Antoni, com um paciente idoso, diabético e com doença renal crônica que se tornou dialítico após o COVID-19. O paciente estava desnutrido segundo IMC, apresentava dificuldade para deambular, prostração e astenia após hemodiálise. Iniciado suplementação de HDmax 3 dias por semana após a hemodiálise + DiamaxIG 4 dias por semana nos dias sem diálise, após a fisioterapia. Após 2 meses de suplementação, o paciente já apresentou aumento do peso, passando a eutrofia segundo IMC, e deambulava sem ajuda, apontando que a suplementação apresentou efeitos positivos no estado nutricional e na função física do paciente.

O outro resumo foi uma pesquisa que avaliou o teor de sódio do espessante Instanth Clear e comparou com 4 concorrentes do mercado. Os resultados mostram que o Instanth Clear tem significativamente menos sódio do que os concorrentes. Além disso, foi feita uma simulação de quanto sódio cada um dos espessantes forneceria considerando a ingestão média de um paciente de 1,5L de água espessada na consistência néctar e comparando com a recomendação de 2000mg de sódio/dia. O Instanth Clear foi o que menos contribuiu para a ingestão de sódio, com 4%, enquanto a contribuição dos concorrentes variou de 13 a 28%. Esse resultado é importante, pois muitos pacientes disfágicos são idosos que necessitam de uma dieta com restrição de sódio. Acesse os trabalhos na íntegra no link Anais do congresso Ganepão 2023.

POSTS RELACIONADOS