fbpx

Blog Nutrição e Saúde

Alimentação enteral no combate à desnutrição de crianças com Paralisia Cerebral

A preocupação com a alimentação humana tem sido assunto de discussões desde a Antiguidade, mas foi só na década de 40 que a relação entre mortalidade infantil e desnutrição foi percebida. Esses estudos sobre a alimentação, resultaram em campanhas que fazem a diferença até hoje, por exemplo, sobre a importância da amamentação. Tais campanhas se uniram à evolução dos conhecimentos que temos sobre a alimentação enteral e a suplementação utilizadas nos casos de Paralisia Cerebral.

A Paralisia Cerebral, é uma condição que pode comprometer de maneiras e graus diferentes cada indivíduo, dependendo da área do cérebro afetada. Isso quer dizer que, cada criança terá necessidades próprias, podendo ou não afetar a maneira como ela se alimenta. Crianças com paralisia cerebral podem desenvolver dificuldade de mastigação e deglutição, e em casos mais complexos, ainda pode ocorrer a aspiração de comida o que pode levar a doenças mais graves.

Em 2013 o Ministério da Saúde lançou uma cartilha de diretrizes de atenção às pessoas com paralisia cerebral. A indicação é que, para as que tem dificuldade de deglutição ou risco de aspiração, a opção seja a terapia de nutrição enteral.

A ideia de alimentação enteral remonta a tratamentos usados na Grécia Antiga, porém a primeira tentativa documentada de alimentação nasogástrica foi no século XV. Esta é uma tecnologia que está em evolução e desde então se tornou o principal apoio para evitar a desnutrição de crianças com Paralisia Cerebral.

Os avanços científicos desta área permitem que a criança receba a alimentação enteral de maneira prolongada, variando de acordo com cada necessidade. A consequência é a redução da mortalidade infantil causada por desnutrição, o que certamente é uma vitória da evolução nutricional. É impossível ignorar a melhora na qualidade de vida que a alimentação enteral traz para estas crianças.

Por fim, um dos maiores avanços tecnológicos são os tipos de alimentação enteral que podem ser oferecidos. Entender das necessidades específicas na infância é a chave para o bom desenvolvimento e maior aproveitamento de todos os benefícios da terapia. O Trophic Infant da Prodiet foi desenvolvido com esse objetivo. Absorvendo as necessidades nutricionais especificamente infantis, ele pode ser usado em receitas e até mesmo como fonte única de alimentação.

Considerando que, a nutrição está ligada à diversos aspectos biológicos e sociais, é possível ligar a nutrição enteral a uma devolução de autonomia. Sabemos que esta é uma fase de evolução rápida, e cada momento conta.

A Prodiet também tem duas dicas preciosas sobre esse assunto:

A primeira é a Oficina de Receitas que ensina como incluir o Trophic Infant em receitas deliciosas que os pequenos vão amar. O livro O Tubinho Mágico desmitifica a alimentação enteral para os pequenos com toda a magia que o mundo infantil merece.

POSTS RELACIONADOS