fbpx

Blog Nutrição e Saúde

Diabetes: mitos e verdades

Segundo os dados mais recentes da International Diabetes Federation (IDF), havia 14,3 milhões de diabéticos no Brasil em 2015. Desses, 10% possuem diabetes tipo 1, de origem genética, e 90% tipo 2, ligada ao sedentarismo e à obesidade. Por isso, hoje trazemos 7 mitos e verdades sobre o Diabetes, destacando a importância da conscientização em torno das boas práticas de prevenção e tratamento da doença, que atinge 9,4% dos brasileiros. Confira:

1) Frutas podem ser consumidas à vontade por diabéticos

FALSO. Frutas são opções saudáveis e devem ser consumidas em uma dieta equilibrada, mas atenção quanto o “à vontade” desta afirmação. Ainda que sejam ricas em vitaminas e minerais, as frutas possuem em sua composição um açúcar natural, a frutose, capaz de aumentar o nível de glicose no sangue. Por conta disso, os diabéticos devem fracionar as porções de frutas (a orientação para a população em geral é de três a cinco) ao longo do dia, preferindo aquelas de baixo índice glicêmico, como maçã, laranja e morango.

Associar o consumo de frutas a oleaginosas e alimentos ricos em fibras, como semente de chia ou abóbora e farelo de aveia, é uma excelente estratégia para lentificar a absorção do açúcar e evitar picos de glicemia.

2) Diabéticos não podem comer pães, massas e doces

FALSO. Diabéticos podem consumir todos os tipos de alimentos, desde que estejam em seu plano alimentar – orientação nutricional individualizada, desenvolvida em parceria com médico ou nutricionista.

Normalmente a orientação envolve o consumo em pequenas quantidades e o balanceamento com as demais refeições do dia. Também há melhores momentos para o consumo de doces, como após as refeições, quando a absorção de açúcar ocorre mais lentamente, e depois de exercícios físicos com mais de uma hora de duração, para reposição energética.

3) Comer muito açúcar causa diabetes

DEPENDE. Enquanto o diabetes tipo 1 tem origem genética e autoimune, na qual os anticorpos atacam e destroem as células produtoras de insulina, o diabetes tipo 2, que representa 90% dos casos da doença, está ligada a fatores como obesidade, sedentarismo, alimentação inadequada, mas também à predisposição genética.

Por isso, a resposta não é simples, mas pesquisas já mostraram que o consumo de bebidas açucaradas, como sucos industrializados e refrigerantes, pode ter vínculo com o desenvolvimento de diabetes tipo 2.

4) Diabetes pode causar complicações cardíacas, renais, cutâneas, dentárias, na visão e também na gravidez

VERDADE. Por isso, o controle da glicemia é essencial. Quanto mais brevemente se controla a doença, melhor será a evolução, com menores complicações crônicas. Períodos prolongados de hiperglicemia podem afetar órgãos, nervos, e vasos sanguíneos, podendo levar a complicações como neuropatias, problemas arteriais, amputações, insuficiência renal, complicações durante a gravidez, glaucoma, catarata, retinopatias, maiores chances de infecções cutâneas por fungos e bactérias, alterações de humor como ansiedade e depressão e também disfunção erétil e problemas de ejaculação.

Porém, o risco de desenvolver essas complicações reduz drasticamente com o gerenciamento adequado da taxa de glicemia.

5) Existem alimentos que auxiliam no controle dos níveis de glicose no sangue

Diabetes: mitos e verdades

VERDADE. O consumo de alimentos ricos em fibras alimentares e com baixo índice glicêmico, como farinha de trigo integral, legumes e vegetais, está ligado a níveis mais baixos de colesterol e glicemia no sangue. Isso acontece porque as fibras solúveis possuem a capacidade de se ligar a moléculas de gordura e de açúcar, eliminando-as pelas fezes.

De acordo com a OMS, a cada oito gramas a mais de fibras alimentares ingeridas por dia há uma redução de 5% a 27% do risco de desenvolvimento de doenças coronarianas, diabetes tipo 2 e câncer no colo retal.

6) Diabetes é um fator de risco para o agravamento da Covid-19

DEPENDE. Pessoas com diabetes não possuem maior risco de infecção, mas sim de desenvolver a versão grave da COVID-19. Esse risco diminui consideravelmente se os níveis de açúcar no sangue estiverem controlados.

7) O consumo de bebidas alcoólicas por diabéticos pode levar a episódios tanto de hiperglicemia quanto de hipoglicemia

VERDADE. Além de serem muito calóricas, as bebidas alcoólicas interferem na ação da insulina, dos secretagogos de insulina e do glucagon, aumentando o risco de hipoglicemia em indivíduos que fazem uso dessas substâncias no controle do diabetes.

Segundo as Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes, a ingestão diária de álcool para adultos com diabetes deve ser limitada a uma dose ou menos para mulheres e a duas doses ou menos para homens.

1 dose = 150 mL de vinho (uma taça), 360 mL de cerveja (uma lata pequena) ou 45 mL de destilados (uma dose com dosador-padrão).

Gostou deste artigo? Acompanhe a gente no Instagram, Facebook e LinkedIn para mais novidades.

 

POSTS RELACIONADOS