Blog Prodiet

Confira os principais temas do 40º Congresso ESPEN, que ocorreu em Madrid, nos dias 1 a 4 de Setembro


Durante os dias 1 a 4 de Setembro a Especialista Científico da Prodiet, Hellin Santos, participou do 40º Congresso ESPEN na cidade de Madrid, na Espanha, e trouxe os principais tópicos abordados no evento.

O congresso iniciou com o simpósio PROMISS e MaNuEL, dois importantes projetos europeus para combate da desnutrição em idosos. Este é sempre um tema de destaque, uma vez que, muitos são os determinantes da desnutrição no idoso: 

O consumo proteico é outro grande desafio no idoso, tendo em vista a importância da proteína no combate a  sarcopenia. O baixo consumo de proteína é mais prevalente entre mulheres, indivíduos obesos e com baixo apetite.

Uma das recomendações do novo Guideline de Nutrição Clínica e Hidratação em Geriatria, lançado no último dia do Congresso, é que a desnutrição deve ser avaliada rotineiramente em idosos, por uma ferramenta validada. Em caso positivo, o idoso deve ser avaliado, receber intervenção individualizada e ser acompanhado para devidos ajustes na intervenção. Outro ponto é investigar quais os determinantes da desnutrição para eliminá-los o mais precoce possível.

São 31 recomendações para os idosos em risco de desnutrição, sendo divididas em:

  • intervenções de suporte como educação nutricional para o idoso e para os cuidadores e compartilhar o momento de refeição com outras pessoas;
  • aconselhamento nutricional o qual recomenda o acompanhamento com o nutricionista;
  • fortificar alimentos para aumento da densidade energética e proteica;
  • o uso de suplementos nutricionais orais, recomendado para aumentar consumo alimentar e peso corporal, não somente no ambiente hospitalar para reduzir complicações e readmissões, como também após alta hospitalar para reduzir o declínio funcional; nutrição enteral
  • após as tentativas de intervenção oral para garantir o consumo adequado, recomenda-se a nutrição enteral quando o consumo oral não for esperado nos próximos 3 dias ou menor do que 50% da necessidade diária pelos próximos 7 dias, e parenteral, quando o mesmo não for alcançado com a nutrição enteral.
  • exercícios físicos, que devem encorajados para recuperação ou preservação da massa muscular e função.

Em outro momento foi apresentado o resultado de um consenso global em torno dos principais critérios diagnósticos para desnutrição em adultos. Os líderes do GLIM (Global Leadership Initiative on Malnutrition) propõem a implementação na prática clínica e validação desta ferramenta dividida em 4 etapas:

  • risco nutricional: avaliação por meio de ferramentas validadas;
  • critérios de avaliação: são 5, divididos em fenótipos (perda de peso não intencional; baixo índice de massa corporal (IMC); redução da massa muscular) e etiológicos (redução da ingestão ou absorção alimentar; gravidade da doença/ inflamação)
  • diagnóstico: combinação de pelo menos 1 critério fenótipo + 1 critério etiológico
  • determinar a gravidade da desnutrição, levando em consideração o critério fenótipo

Um outro tema forte no congresso foi o paciente crítico, além das aulas sobre o tema, foi apresentado o novo Guideline de UTI que estará disponível no site da ESPEN em breve. O tempo da proteína foi bastante discutido com as sugestões do estudo PROTINVENT, publicado no início deste ano. A menor mortalidade de pacientes internados em UTI aos 6 meses foi encontrada ao aumentar a ingestão de proteína de <0,8 g/kg/dia no dia 1-2 para 0,8-1,2 g/kg/dia no dia 3-5 e> 1,2 g/kg/dia após o dia 5. O novo Guideline traz a recomendação proteica de 1,3 g/kg/dia e que esta deve ser atingida progressivamente. Nas aulas também foi muito abordado a preocupação com a qualidade da recuperação do paciente pós UTI, principalmente quanto sua qualidade de vida e sobrevivência.

Independente de qual paciente estamos falando, idoso, paciente crítico ou desnutrido, o que ficou claro no congresso deste ano é a preocupação com o impacto da desnutrição não só para o paciente, mas também para a sociedade e a necessidade de todos caminharmos juntos na busca das melhores estratégias para o cuidado nutricional.

Dentro deste contexto, a Prodiet também esteve presente com apresentação de pôster sobre suplementação em pacientes oncológicos, um estudo randomizado e multicêntrico.  O trabalho apresentado objetivou verificar a segurança e eficácia da suplementação de Immax em pacientes oncológicos.

Immax é um suplemento desenvolvido para o combate à perda de massa muscular, característico em situações como desnutrição, caquexia e sarcopenia. Sua composição balanceada de macro e micronutrientes conta com proteínas de alta qualidade e digestibilidade, com adição de leucina, principal aminoácido envolvido na síntese proteica, em uma apresentação sem sabor o que facilita muito a adesão da suplementação.

Nestes resultados parciais, os pacientes do grupo aconselhamento nutricional + Immax, completaram suas necessidades nutricionais diárias com aproximadamente 300kcal de Immax e conseguiram aumentar consideravelmente o consumo proteico. Foi observado um aumento de 17 gramas de proteína, comparado ao grupo que só recebeu aconselhamento nutricional e ambos grupos não diferiram quanto aos eventos adversos, mostrando a segurança com a suplementação.


Saiba mais
Estudo brasileiro aprimora ferramenta de rastreio da Sarcopenia em idosos
Estudo brasileiro aponta Sarcopenia em idosos

 

POSTS RELACIONADOS