Blog Prodiet

Entrevista com especialista: Diarreia em pacientes críticos e a Nutrição Enteral

 

Abordamos aqui sobre a importância da Nutrição Enteral em pacientes internados em UTI e como o bom estado nutricional interfere diretamente na evolução clínica, com diminuição da morbidade, do tempo de internação, entre outras respostas positivas.

Porém, alguns fatores podem levar o paciente a um quadro de diarreia durante sua internação em terapia intensiva. Para saber os principais motivos e quais as providências devem ser tomadas nessas situações, o Blog Prodiet conversou com a nutricionista clínica Katherinne Barth Wanis Figueiredo, do Hospital Regional Hans Dieter Schmidt (HRHDS), de Joinville – SC.

Confira a entrevista abaixo:

nutrição enteral

 

  • Blog Prodiet: O que caracteriza um quadro de diarreia?

Katherinne: Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), resumidamente, a diarreia é definida como três ou mais evacuações líquidas ou semilíquidas em um período de 24 horas.

  • Blog Prodiet: Quais são as causas mais comuns de diarreia em pacientes internados em UTI?

Katherinne: Essa população é bastante suscetível a apresentar esse quadro. Dentre os fatores de risco mais comuns, podemos citar: medicamentos (como antibióticos, laxantes, procinéticos [que estimula e restaura a motilidade gástrica e intestinal], baixa de uma proteína plasmática muito importante denominada albumina, desnutrição, infecções, fecaloma [massa volumosa e dura constituída de matéria fecal desidratada que fica estagnada no reto], e intolerância à Nutrição Enteral.

  • Blog Prodiet: O que fazer quando o paciente apresenta esse quadro?

Katherinne: Normalmente, a conduta mais adequada vai depender da situação clínica do paciente. Entretanto, de modo geral, deve-se optar por não interromper o suporte nutricional e realizar uma investigação da possível etiologia e, posteriormente, se necessário, alterar a conduta. Para pacientes que apresentem esse quadro, a maior parte dos protocolos atuais indica a utilização de:

– Fibras solúveis: fazem com que haja maior absorção de água e aumento do bolo fecal);

Probióticos/prebióticos/simbióticos: garantem a manutenção da flora intestinal saudável, auxiliando na melhora da imunidade e na redução das infecções e das diarreias agudas causadas pelo uso contínuo de antimicrobianos;

-Glutamina: importante no equilíbrio da microbiota intestinal;

-Fórmulas oligoméricas: são aquelas em que os macronutrientes (proteínas, carboidratos e lipídios), em especial a proteína, apresenta-se na sua forma parcialmente hidrolisada. Nutrientes hidrolisados reduzem o resíduo intestinal e garantem maior absorção.

Porém, toda alteração irá depender da situação clínica do paciente.

  • Blog Prodiet: Quais são os procedimentos quando o paciente tem diarreia em casa, durante a administração de Nutrição Enteral?

Katherinne: Diarreia em pacientes recebendo Nutrição Enteral domiciliar é um quadro muito preocupante, pois pode levar à desidratação grave muito rapidamente. Existem diversos fatores que podem levar à diarreia em pacientes que recebem esse tipo de nutrição em casa, dentre eles: a administração muito rápida da dieta; diluição incorreta da dieta enteral em pó; toxinfecção alimentar por contaminação, má conservação da dieta ou falta de higienização adequada.

Deve-se sempre seguir a orientação recebida na alta, pois, normalmente, ela contempla todos os passos para uma nutrição enteral domiciliar segura, com todas as orientações, desde modo de preparo, armazenamento, administração, até o que fazer em caso de intercorrências.

Em termos práticos, logo que o quadro de diarreia iniciar, deve-se:

– Verificar com o médico se os medicamentos utilizados podem ser os causadores da diarreia;

– Verificar o gotejamento e diluição da dieta;

– Rever os procedimentos corretos de higienização e armazenamento dos utensílios utilizados na dieta e também na conservação do próprio alimento

– Caso a diarreia persistir, deve-se procurar o serviço de saúde de referência.

 

*Katherinne Barth Wanis Figueiredo é graduada em Nutrição, mestre em Saúde e Meio Ambiente e especialista em Preceptoria no SUS (2017). Atualmente, é membro do Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Regional Hans Dieter Schmidt (HRHDS), onde também é nutricionista clínica. É preceptora do Programa de Residência Multiprofissional, eixo de concentração em Urgência e Emergência em Cuidados Intensivos, na especialidade Nutrição. Também é graduanda de Medicina Veterinária.

POSTS RELACIONADOS