fbpx

Blog Nutrição e Saúde

Sal está diretamente ligado ao consumo excessivo de gordura

Qual a quantidade de sal que você consome por dia? Talvez seja difícil mensurar isso, pois existem alimentos que, muitas vezes, nem imaginamos que levem sal em sua composição. A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é consumir, no máximo 5 gramas de sal diariamente, ou seja, uma colher de chá rasa. Entretanto, segundo pesquisas, o brasileiro ingere em média 10g por dia. Quem se alimenta diariamente de lanches chega a ingerir o dobro disso.

Um estudo do Journal of Nutrition revelou que a adição de sal aumenta a agradabilidade de alimentos e, consequentemente, promove passivamente o consumo excessivo de gordura. A nutricionista Ketlyn Dalagnol afirma que gordura e sal são uma combinação apetitosa nas preparações alimentares. Durante a pesquisa, 48 adultos saudáveis, sendo 16 homens e 32 mulheres, com idade entre 18 a 54 anos e IMC (kg/m²) entre 17,8 a 34,4, foram testados quanto a sua sensibilidade e palatabilidade à gordura e sal. Os voluntários participaram de quatro sessões na hora do almoço e após um desjejum padronizado.

As refeições consistiam de macarrão (56%), com molho (44%) e quatro tipos de molho: 1 – baixo teor de gordura / baixo teor de sal (0,02% de gordura e 0,06% de cloreto de sódio – NaCl), 2 – baixo teor de gordura / alto teor de sal (NaCl a 0,5%,), 3 – elevado teor de gordura / baixo teor de sal (34% de gordura) 4 – alto teor de gordura / alto teor de sal. Foram realizadas avaliação da ingestão alimentar e avaliações subjetivas de fome e saciedade.

O resultado revelou que o sal aumentou a ingestão de alimentos e de energia em 11%, independente da concentração de gordura. A adição de sal nos alimentos, além de aumentar o “sabor”, também aumenta o consumo de alimentos e de energia, e, consequentemente, promove o consumo excessivo de gordura. A nutricionista Ketlyn explicou que o sal aumenta o consumo calórico por suprimir a saciedade, naturalmente provocada pela ingestão de gorduras. “Quando a comida possui mais sal, a tendência é um maior consumo de alimentos gordurosos”.

Os estudiosos chegaram à seguinte conclusão: o sal promove o consumo excessivo de gordura na dieta, suprimindo à saciedade promovida pela gordura. A sensibilidade gustativa para a gordura foi negativamente associada à ingestão de refeições de alto teor de gordura, mas na presença de sal o efeito parece ser ao contrário. “O acúmulo de sal no corpo pode levar a algumas doenças como diabetes e hipertensão, além do risco de sobrepeso e obesidade”, alerta Ketlyn.

Entretanto, o sódio também tem funções importantíssimas no organismo humano.

A nutricionista explica que o sódio controla o equilíbrio hídrico do corpo, contribui para os impulsos nervosos do cérebro, permite a contração muscular e participa da regulação do ritmo cardíaco. Segundo ela, a questão não é se devemos ou não ingerir sal, mas sim consumi-lo na quantidade correta. “Devemos lembrar que o gosto pelo sal não é nato, ele é adquirido. Portanto, os pais devem educar os filhos desde pequenos a ingerirem apenas a quantidade necessária de sal para o bom funcionamento do organismo”.

Como identificar se o produto tem sódio?

Ketlyn explica que o sódio pode aparecer com outros nomes, como benzolato de sódio, sacarina sódica e glutamato monossódico. “Preste atenção também nos rótulos dos produtos que não têm paladar salgado, como adoçantes e ketchups, pois eles podem conter doses elevadas do ingrediente”, sugere a nutricionista.

af_PR000516H_Infografico_10Mai_v2

POSTS RELACIONADOS