fbpx

Blog Nutrição e Saúde

A importância do Zinco na Alimentação Infantil

O zinco está envolvido em mais reações enzimáticas dentro do organismo do que qualquer outro mineral. Elemento essencial indispensável para a saúde humana e para todos os organismos vivos, este mineral participa ativamente da modulação de pelo menos 3000 proteínas diferentes do corpo humano. Assim como o zinco, outros minerais como o cálcio, ferro, magnésio, cobre, flúor, selênio, fósforo e potássio, são essenciais para a manutenção da saúde. Para as crianças, o zinco é ainda mais importante, aponta a nutricionista Maria Emilia Suplicy de Albuquerque do Hospital Pequeno Príncipe. A nutricionista infantil ainda alerta que a ingestão adequada desse mineral é essencial para que os pequenos cresçam de forma saudável. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), algumas das maiores causas de morte infantil são diarreia, que ainda causa 18% das mortes entre crianças no mundo, e pneumonia, problemas que têm relação direta com a falta de zinco no organismo.

Minerais_Essenciais_Zinco

De acordo com Maria Emila Suplicy de Albuquerque, o baixo consumo de zinco afeta drasticamente o crescimento das crianças, levando à falta de apetite, redução do olfato e paladar, alterações no sistema imunológico, deixando o organismo mais exposto à infecções.

Sintomas da Deficiência de Zinco

Alguns sintomas que merecem a atenção dos pais e que demonstram a falta de zinco no organismo das crianças são: atraso no crescimento, perda de apetite, infecções repetidas, falta de memória, atraso no desenvolvimento sexual e queda de cabelo. O organismo não tem como armazenar o zinco, assim como a vitamina C e outras substâncias, por isso depende de um fornecimento diário que pode ser obtido através de uma dieta equilibrada onde estejam presentes alimentos de origem animal e vegetal assim como: frutos do mar (ostras cozidas), carne de cordeiro; trigo; espinafre; abóbora e sementes de abóbora; caju; cacau e chocolate (cacau em pó); carne de porco e frango; cogumelos brancos. Outro alimento que merece destaque quando o assunto é prevenção contra deficiência de minerais é o feijão. Além de zinco, o feijão contém fósforo, potássio, enxofre, ferro, cobre, manganês e até molibdênio. Segundo a nutricionista infantil, o zinco pode ser encontrado em maiores quantidades nas carnes vermelhas, carne de fígado, cereais de trigo integral, oleaginosas, feijões e ervilhas. Um alimento pouco consumido no nosso dia a dia mas campeão em quantidade de zinco é a ostra.

A Ingestão Diária Recomendada (IDR) da quantidade de zinco na faixa etária pediátrica é de: 2,8mg (0 -6 m); 4,1mg (7 – 36 m); 5,1 (4 – 6 a); 5,6 (7 – 10 a). Para as crianças pequenas, Maria Emília recomenda oferecer carne de fígado uma vez na semana, acompanhando o prato principal. Para as crianças mais velhas, é recomendado oferecer carne vermelha com certa regularidade e cereais integrais como aditivo nos lanches. Já que a aparência do alimento exerce muita influência sobre o desejo da criança, Maria Emília aposta na montagem de pratos bem coloridos e visualmente apetitosos. Optar por alimentos densos em nutrientes, frescos, ricos em vitaminas, não industrializados e, de preferência, orgânicos são alternativas excelentes.

POSTS RELACIONADOS