fbpx

Blog Nutrição e Saúde

Recomendações ADA 2008 e 2014. O que mudou?

Anualmente, a Associação Americana de Diabetes (ADA, em inglês) lança um Manual de Práticas Clínicas relacionadas à doença, redigido por clínicos e pesquisadores da área a partir de uma revisão completa da literatura relacionada ao diabetes.

De acordo com Erica Serra, nutricionista e especialista em Desenvolvimento de Novos Produtos Alimentícios pela PUC-PR, a Prática Clínica publicada pela instituição é voltada para profissionais da área da saúde envolvidos com o cuidado de pacientes diabéticos. “Nesta publicação, há orientações quanto ao diagnóstico mais atual, classificação, tratamento envolvendo medicamentos e terapia nutricional, além de abordar temas como o diabetes no âmbito escolar, no emprego, entre outros”, explica.

Segundo a profissional, de 2008 a 2013, não ocorreram alterações no documento que fossem relacionadas à terapia nutricional. No entanto, neste ano, a publicação apresentou algumas atualizações relevantes para os profissionais de nutrição. “A publicação da prática clínica de terapia nutricional orienta o profissional quanto aos objetivos da terapia nutricional no diabético adulto, recomendações quanto a macronutrientes (proteínas, carboidratos e lipídios), micronutrientes (vitaminas e minerais), fibras, ingestão de álcool, entre outros tópicos relacionados à alimentação.

Depois de reunir esses estudos mais rigorosos, as recomendações são elaboradas ou revisadas e submetidas à aprovação de um comitê executivo da associação, conforme explica Erica. Após a aprovação desse comitê, as recomendações de prática clínica se mantêm ou são revistas e publicadas na revista Diabetes Care (acesse aqui – em inglês). No Brasil, as recomendações da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) seguem, em geral, as recomendações da ADA.

Abaixo, você confere um quadro com as principais alterações no Manual de Práticas Clínicas em relação aos anos anteriores:

POSTS RELACIONADOS