Blog Prodiet

Nutrição Enteral para crianças

 

A Nutrição Enteral é indicada para pessoas com risco nutricional ou desnutridas que não atingem suas demandas nutricionais com alimentação oral. Com as crianças, a indicação é a mesma, estejam elas hospitalizadas ou em cuidado domiciliar, podendo ocorrer desde o período neonatal.

De acordo com o artigo “Nutrição Enteral em Pediatria”, publicado pela revista da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), em 2013, entre as principais indicações de dieta enteral para crianças estão risco de aspiração pulmonar, prematuridade e oferta oral insuficiente para cobrir as necessidades nutricionais.

 

Trophic Infant

O Trophic Infant, da Prodiet Nutrição Clínica, é um produto voltado para a manutenção ou promoção da saúde de crianças, revertendo possíveis quadros de déficit nutricional, nos ambientes hospitalar e domiciliar. O produto oferece 12% de proteínas, 53% carboidratos, 35% de lipídios, vitaminas e minerais de forma adequada, atendendo as principais recomendações de entidades renomadas de saúde e nutrição.

Trophic Infant possui um excelente mix de proteínas que ajudam no crescimento e desenvolvimento, podendo ser a única fonte de alimentação via sonda ou misturado a diversos preparos.

Sua quantidade de carboidratos – 130g de por litro do produto ou 53% – está de acordo com os valores estabelecidos pela Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (SBNPE), que é de 45% a 60%, para crianças de até 10 anos.

Já a quantidade de lipídios e gordura saturada – 35% e 7%, respectivamente, respeita as principais recomendações nacionais e internacionais, como, por exemplo, da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Academia Americana de Pediatria (American Academy of Pediatrics – AAP), que preconizam a porcentagem de 25% a 40% do valor calórico total.

Em relação à proteína, o Trophic Infant oferece 12% do seu valor calórico total (VCT) compostos por esse nutriente, contemplando, também, as recomendações nacional e internacional para crianças até dez anos de idade: as diretrizes da SBNPE são de 10% a 30% do VCT. “A proteína concentrada do leite é uma excelente fonte proteica de origem animal para crianças, constituída por 80% caseína e 20% proteína do soro do leite. Essa proporção é a mesma encontrada no leite, ou seja, fonte proteica muito próxima da alimentação convencional”, avalia Hellin dos Santos, nutricionista, especialista científico da Prodiet Nutrição Clínica.

Ainda de acordo com a nutricionista, “a proteína do soro do leite isolada promove benefícios importantes para o paciente em terapia nutricional, como a capacidade de promover um melhor esvaziamento gástrico, o que garante uma melhor digestão e absorção, atingindo níveis mais elevados de aminoácidos circulantes, ou seja, maior retenção de nitrogênio, o que ajuda na manutenção da massa muscular e estado nutricional.”

Além de anti-inflamatória, imunoestimuladora e antitumoral, características já apontadas por diversos estudos, a proteína do soro de leite possui propriedades antioxidantes, hipotensoras, homeostáticas intestinais, antidiabética, osteoprotetora e atua na biossíntese muscular. “Estudos demonstram que a oferta de proteína do soro do leite como uma das fontes proteicas confere a propriedade antiobesidade e previne a formação de gordura no fígado”, conclui Hellin.

Sobre o perfil de aminoácidos, a mistura de fontes proteicas de Trophic Infant (caseinato de cálcio, proteína isolada do soro do leite e proteína concentrada do leite) proporcionam aminoácidos essenciais que suprem a recomendação do Institute of Medicine (IOM), para crianças até dez anos.

 

O Trophic Infant segue as recomendações nutricionais das seguintes entidades de saúde e nutrição:

Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (SBNPE), Sociedade Americana de Nutrição Parenteral e Enteral (ASPEN), Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), Organização Mundial da Saúde (OMS), American Heart Association – AHA (Sociedade Americana do Coração), American Academy of Pediatrics Committee on Nutrition e World Health Organization/Food & Agriculture Organization (Academia Americana de Pediatria, Comitê de Nutrição e Organização Mundial de Saúde/ Organização de Alimentos e Agricultura), e American Academy of Pediatrics – AAP (Academia Americana de Pediatria).

 

 

_________

Referências:

  1. FAO. Fats and fatty acids in human nutrition. Report of an expert consultation. FAO Food and Nutrition Paper, 91, 2010.
  2. Uauy R and Castillo C; Lipid requirements of infants: implications for nutrient composition of fortified complementary foods. J Nutr. 133:2962S-2972S, 2003.
  3. Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral. Recomendações nutricionais para crianças em terapia nutricional enteral e parenteral. Projeto Diretrizes, volume IX. Agosto, 2011.
  4. Corkins M R; American Society for Parenteral and Enteral Nutrition. Nutrition Guidelines. In: Pediatric Nutrition Support Handbook. American Society for Parenteral and Enteral Nutrition, 2011.
  5. Padovani M et al; Dietary reference intakes: aplicabilidade das tabelas em estudos nutricionais. Rev. Nutr. Campinas, 19(6): 741-760, 2006.
  6. Ebaid H, Salem A, Sayed A, Metwalli A. Whey protein enhances normal inflammatory responses during cutaneous wound healing in diabetic rats. Lipids in Health and Disease;10:235, 2011.
  7. Marshall, K. Therapeutic Applications of Whey Protein. Alternative Medicine Review; 9:2 2004.
  8. Tomé, D. The nutritional value of whey proteins, new insights. In The Importance of Whey and Whey Components in Food and Nutrition (pp. 295-302), Proceedings of the 3rd International Whey Conference. Munich, Germany, 2001.
  9. PATEL S. Functional food relevance of whey protein: A review of recent findings and scopes ahead. Journal of Functional Foods Volume 19, Part A, Pages 308–319, December 2015.
  10. Shi, J., Ahlroos-Lehmus, A., Pilvi, T. K., Korpela, R., Tossavainen, O., & Mervaala, E. M. Metabolic effects of a novel microfiltered native whey protein in diet-induced obese mice. Journal of Functional Foods, 4(2), 440–449, 2012.
  11. Shi, J., Finckenberg, P., Martonen, E., Ahlroos-Lehmus, A., Pilvi, T. K., Korpela, R., & Mervaala, E. M. Metabolic effects of lactoferrin during energy restriction and weight regain in diet-induced obese mice. Journal of Functional Foods, 4(1), 66– 78, 2012.
  12. Fernandes, V.P.I., Lima, A., Junior, A.A.E., Nogueira R. Nutrição Enteral em Pediatria. Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Resid. Pediatr. 3(3):67-75, 2013.

POSTS RELACIONADOS