0800 702 8845 / (41) 3342 2825

BLOG PRODIET

VEGANO OU VEGETARIANO? TEM DIFERENÇA?

VEGANO OU VEGETARIANO

Apesar de existirem algumas similaridades, o veganismo e o vegetarianismo possuem diferenças que vão além da alimentação. Primeiro, é importante entender que enquanto um trata somente da readaptação da alimentação, o outro também requer uma mudança na aquisição de bens de consumo.

De acordo com Natália Utikava, nutricionista e mestre em Ciências da Saúde, as principais características que os diferenciam são os tipos de alimentos eliminados. Enquanto no vegetarianismo quaisquer tipos de carne e seus derivados ficam de fora da dieta, no veganismo a alimentação é mais estrita, quando ovos, leite, mel, gelatina e outros alimentos oriundos de animais também são eliminados.

No entanto, de acordo com Utikava, vale explicar que existem os vegetarianos estritos e os veganos. “É importante fazer a distinção da dieta vegetariana estrita e do veganismo. Um indivíduo vegano adota uma dieta vegetariana estrita, mas nem sempre um indivíduo que adota uma dieta vegetariana estrita é vegano”, exemplifica.

Isso porque no veganismo qualquer produto que tenha se valido de animais em seu processo de produção é excluído, como linhas de cosméticos, vestuário, higiene e limpeza. Enquanto vegetarianos estritos só mudam a alimentação. Adeptos do vegetarianismo abrem mão do consumo de alimentos de origem animal por vários motivos. Entre eles estão questões religiosas, costumes étnicos, questões socioambientais e defesa dos direitos dos animais.

De modo geral, todas são dietas vegetarianas com suas especificidades alimentares e comportamentais.

MITOS DE UMA ALIMENTAÇÃO VEGETARIANA

Em razão do desconhecimento e da cultura alimentar, em sua maioria, onívora, alguns mitos cercam os diferentes tipos de dietas vegetarianas. O principal é de que não é possível obter os mesmos nutrientes com alimentos de origem vegetal.

No entanto, Utikava desmistifica essa ideia. “Quando bem orientada e balanceada, é possível obter esses nutrientes sem maiores problemas e, quando necessário, utilizar suplementação. Inclusive, mesmo uma dieta onívora requer uma adequação e suplementação em alguns momentos. Por isso, o acompanhamento de um nutricionista é recomendado em todos os casos”, comenta.

Abaixo você confere algumas definições das dietas mais conhecidas:

Onívoros: consomem hortaliças, carnes, ovos, leite e demais derivados oriundos de animais;

Ovolactovegetarianos: excluem apenas a carne e consomem outros alimentos de origem animal;

Vegetarianos estritos: não consomem nenhum tipo de alimento de origem animal e seus derivados, incluindo ovos, leite, mel, gelatina, etc.;

Veganos: além de não se alimentarem de nenhum tipo de alimento de origem animal, também não utilizam bens de consumo como couro, lã, shampoos com gema ou mel na composição, etc.

BENEFÍCIOS DAS DIETAS VEGANA E VEGETARIANA

De acordo com o Guia Alimentar da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), os benefícios trazidos por dietas ricas em hortaliças estão relacionados à redução dos casos de diabetes, câncer, cardiopatias, obesidade, doenças da vesícula biliar e hipertensão. No Brasil, cerca de 10% dos homens e 9% das mulheres se declaram vegetarianos.

A nutricionista consultada pelo Blog Prodiet explica que há muitos benefícios se houver um acompanhamento nutricional que garanta que a dieta vegetariana é feita de forma balanceada e consciente. “A pessoa pode perceber efeitos positivos na digestão, pele, cabelos, disposição, sono, além do controle do peso corporal. Eliminar alimentos de origem animal resulta em redução do consumo de gorduras saturadas e colesterol, entre outras substâncias, o que reflete em melhor controle dos marcadores sanguíneos e redução de processos inflamatórios”, explica.

Alguns estudos da Associação Dietética Americana (ADA) e Dietéticos do Canadá demonstram que as populações vegetarianas apresentam vários cânceres a menos, sendo 88% a menos de câncer de intestino grosso e 54% a menos de câncer de próstata. Além disso, os casos de cardiopatias são 31% menores e 50% a menos de diabetes.

ALGUNS GRUPOS REQUEREM ATENÇÃO

Apesar dos benefícios trazidos por uma dieta vegetariana, há grupos específicos que devem redobrar a atenção, como crianças, gestantes, nutrizes, esportistas e indivíduos submetidos a cirurgia bariátrica do tipo disabsortiva. Nesses casos pode haver deficiência de nutrientes caso não haja orientação nutricional adequada.

“Contudo, quando a alimentação estiver balanceada, e a indicação de suplementação de nutrientes estiver em curso, caso haja necessidade, mesmo esses indivíduos podem manter uma dieta vegetariana em qualquer fase da vida, acompanhando com exames bioquímicos periodicamente”, explica a mestre em Ciências da Saúde.

Em geral, os demais indivíduos podem adotar uma dieta vegetariana sem problemas. Ao ser questionada sobre a necessidade de haver uma transição alimentar, Natália Utikava, que trabalha orientando dietas vegetarianas, explica que todos os alimentos serão digeridos e que, feitas as substituições corretas, o que sobrarão serão os nutrientes absorvidos pela corrente sanguínea. Com exceção da vitamina B12, os demais nutrientes estão presentes em uma dieta vegetariana, até mesmo a estrita.

PIRÂMIDE ALIMENTAR VEGETARIANA: MONTE SEU PRATO

Informações da nutricionista Natália Utikava sobre alimentação vegetariana, que também possui um e-Book informativo sobre o assunto.

  1. ¼ do prato deve conter cereais integrais, tubérculos e/ou raízes;
  2. ¼ do prato com leguminosas (feijões, grão de bico, lentilha, ervilha, soja e derivados);
  3. ½ do prato contendo legumes e verduras, principalmente as verde escuras, ricas em ferro e cálcio;
  4. Insira sempre um alimento fonte de vitamina C na refeição ou na sobremesa, como frutas cítricas, pois essa vitamina pode duplicar ou até triplicar a absorção do ferro dos alimentos de origem vegetal.
  5. Como numa dieta vegetariana o consumo de gorduras é reduzido, é fundamental inserir pequenas porções de alimentos fontes de gorduras mono e poli-insaturadas no prato, como azeite de oliva extra-virgem, sementes oleaginosas (linhaça, chia, gergelim, semente de girassol, semente de abóbora) e castanhas.

Vaganismo ou vegetarianismo
Você faz é adepto do vegetarianismo? Ficou com dúvidas? Conta pra gente e compartilhe com os amigos.

Fontes:

Natália Utikava é nutricionista e mestre em Ciências da Saúde. Ela ministra aulas e palestras sobre alimentação vegetariana e trabalha com orientação de dietas específicas para esse público.

Guia Alimentar da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB)

American Dietetic Association. Dietitians of Canada. Position of the American Dietetic Association and Dietitians of Canada: Vegetarian diets. Journal of the American Dietetic Association. 103(6):748-65, 2003 Jun.

Este post foi útil? Sim Não

POSTS RELACIONADOS