0800 702 8845 / (41) 3342 2825

BLOG PRODIET

Nutrição Enteral: O que você precisa saber sobre dieta de sonda no câncer de cabeça e pescoço

Nutrição Enteral: O que você precisa saber sobre dieta de sonda no câncer de cabeça e pescoço

Pacientes em tratamento de câncer na cabeça ou no pescoço possuem, em geral, grande dificuldade de se alimentar. Isso ocorre devido aos tumores que provocam uma série de feridas na cavidade oral, língua, faringe, laringe e outras estruturas cujos tratamentos e cirurgias acabam agravando a situação, por vezes até deformando a região atingida.

A quimioterapia e a radioterapia, embora sejam parte importante do tratamento, aumentam as dificuldades do ato de se alimentar, com a perda de apetite, paladar e alterações gastrointestinais.

Em alguns casos, existe a necessidade de uma traqueostomia, processo esse responsável pela melhora na respiração do paciente, mas que afeta a sua deglutição, dificultando o ato de engolir.

Há pacientes que, em fase de tratamento, chegam a emagrecer até 40 quilos por conta da dor e dificuldade em mastigar e deglutir os alimentos.

São nestas situações que intervenções nutricionais, tais como a nutrição enteral (dieta via sonda), se tornam uma alternativa mais eficaz para que os pacientes mantenham sua alimentação saudável. Confira abaixo os tipos de dieta via sonda.

Dieta via sonda no câncer de cabeça e pescoço

A dieta enteral é uma forma de alimentar o corpo do paciente através da ingestão de líquidos. É administrada por meio de uma sonda, que é um tubo flexível. A alimentação é rica nos nutrientes que os pacientes mais necessitam, como vitaminas, proteínas, carboidratos, gordura, água e minerais.

Prescrita pelo profissional de nutrição, a dieta via sonda no câncer de cabeça e pescoço levará em consideração uma quantidade certa de proteínas e calorias que permitam ao paciente manter o peso adequado e a força física necessária para o tratamento.

Tipos de sonda

Existem as nasoenterais, que são as sondas ligadas ao estômago ou intestino por meio de um tubo posicionado em uma das narinas do paciente. Outras opções, conforme a necessidade e urgência de cada caso, são a gastrostomia (cuja sonda é ligada diretamente no estômago do paciente) e a jejunostomia (cuja sonda é ligada diretamente no jejuno, parte do intestino delgado que está localizada entre o duodeno e o íleo).

Tipos de dietas específicas

A dieta enteral no câncer podem ser classificadas como:

  • Especiais (dieta específica conforme patologia)
  • Monoméricas (nutrientes simples em sua forma hidrolisada, em geral são hiperosmolares)
  • Oligoméricas (suplementação de aminoácidos e proteínas em sua forma hidrolisada para facilitar a digestão)
  • Poliméricas (nutrientes em sua forma intacta)
  • Módulos (com nutrientes específico)

Em suma, estas dietas são uma maneira de dar ao paciente condições de enfrentar o tratamento com mais força e disposição.

E você quer saber mais sobre a nutrição enteral? Clique aqui: Prodiet em casa e tire as suas dúvidas!

Este post foi útil? Sim Não

POSTS RELACIONADOS