0800 702 8845 / (41) 3342 2825

BLOG PRODIET

Como prevenir a perda de massa magra durante o tratamento oncológico

como previnir a perda de massa magra durante o tratamento oncológico

Durante um tratamento oncológico, é comum os pacientes percam massa magra, que corresponde aos órgãos vitais, ligamentos, músculos, ossos e fluidos corporais.

Isso ocorre porque, uma vez submetidos a cirurgias ou procedimentos como a radioterapia e/ou quimioterapia, os órgãos do corpo acabam passando por alterações em seu metabolismo, o que leva à “queima” dessa massa, e o corpo a percebe como uma fonte extra de consumo de energia.

Em pacientes oncológicos, deve-se identificar a deficiência nutricional o quanto antes, pois a contínua perda de massa magra pode provocar desnutrição e diminuir a tolerância aos tratamentos.

Prevenindo a perda de massa magra

Primeiramente, é necessária uma alimentação mais rica, especialmente em proteínas. Existem muitos alimentos ricos nesse nutriente, como as carnes, ovos, leite e algumas leguminosas, que auxiliam na manutenção da massa magra.

Ovos

A albumina, presente na clara, é uma proteína que ajuda na obtenção de massa muscular, enquanto a gema aumenta a imunidade.

Grãos e cereais

Eles garantem energia que é consumida de forma gradual e mais lenta, recuperando órgãos debilitados. A aveia, por exemplo, ainda aumenta a glicose e, consequentemente, o nível energético do organismo do paciente.

Banana

Fruta de fácil digestão, tem alta concentração glicêmica e repõe rapidamente a energia, reduzindo cãibras e elevando a imunidade.

Arroz e feijão

Possuem aminoácidos não produzidos pelo corpo e são responsáveis pela síntese proteica, potencializando a constituição e recuperação muscular.

Além desses alimentos, também destacam-se: beterraba (vasodilatadora, amplia a oxigenação de músculos); melancia (a citrulina presente inibe a fadiga muscular, reduzindo o cansaço); batata doce (fornece energia de maneira lenta e constante, preservando a massa magra); e soja e seus derivados (age no restabelecimento da força e tonicidade muscular).

Por outro lado, é muito comum que, após uma cirurgia ou sessão de radioterapia ou quimioterapia, o paciente perca o apetite e o ânimo para se alimentar (também em razão de alterações emocionais). Outros efeitos colaterais, ainda, alteram o sabor dos alimentos, deixando a boca seca ou provocando enjoos e vômitos.

Suplementos nutricionais

Nesse contexto, havendo desnutrição, risco nutricional ou ingestão de calorias abaixo de 70% das recomendações diárias, o médico ou nutricionista podem indicar suplementos nutricionais como uma alternativa de reposição e manutenção da massa magra.

Um suplemento nutricional, seja em forma de bebida ou cápsula, garante uma reposição balanceada, criada especificamente para ajudar pacientes oncológicos a garantir, de maneira simples e não invasiva, suas necessidades diárias de nutrientes (com dosagem controlada das substâncias).

Treinamento resistido

Outro recurso muito utilizado é o chamado Treinamento Resistido (TR). Ele estimula a máxima independência possível do paciente, promovendo seu bem-estar físico, psicológico e social, evitando assim o sedentarismo ao qual a doença tende a conduzi-lo.

As atividades envolvem desde programas especiais de exercícios até o treino funcional para tarefas cotidianas, como tomar banho sozinho ou se alimentar sem a assistência contínua de outra pessoa. Dessa maneira, estimulando o seu condicionamento físico, diminui-se também a perda de massa magra.

E você, gostou desse artigo? Então continue a ler sobre alimentação e o câncer nesse próximo conteúdo sobre o consumo de embutidos e o risco de câncer.

QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS CAUSAS E COMO LIDAR COM A PERDA DO APETITE DO PACIENTE COM CÂNCER

Este post foi útil? Sim Não

POSTS RELACIONADOS